fbpx

Quantum é a responsável pela instalação da usina solar fotovoltaica no Superior Tribunal de Justiça

15/12/2020

Quantum é a responsável pela instalação da usina solar fotovoltaica no Superior Tribunal de Justiça


Escrito
por Quantum

Além de especialista em planejamento e instalação de micro e miniusinas fotovoltaicas residenciais, comerciais e industriais, a Quantum Engenharia é referência em usinas solares fotovoltaicas em prédios públicos. Entre os projetos executados recentemente, destacam-se o Palácio 29 de Março – sede da Prefeitura Municipal de Curitiba – e o prédio da Polícia Federal em Florianópolis.

Com o know how adquirido ao longo de seus 30 anos de história, a Quantum formou o Consórcio Sol da Justiça, vencedor do pregão eletrônico do tipo menor preço realizado em novembro de 2019 pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) para fornecer a usina solar fotovoltaica em forma de Locação de Sistema de Geração Distribuída (SGD) em Brasília (DF). 

O Consórcio Sol da Justiça é formado pela Quantum Engenharia e pela empresa Soliker Energia S.A sediada em Brasília. O projeto prevê geração de energia elétrica de fonte fotovoltaica, dimensionada para ser capaz de produzir e injetar no sistema de compensação, na categoria minigeração, a quantidade de 7.000 MWh por ano. Será instalada uma Central Geradora Fotovoltaica (CGF) de 3,70 Mwp com mais de oito mil módulos, infraestrutura, equipamentos, periféricos e acessórios. Isso inclui estruturas para cercamento, sistemas de segurança, infraestrutura civil e melhorias requeridas pelos diversos órgãos reguladores e ambientais. O contrato com o Superior Tribunal de Justiça para o projeto “Sol da Justiça” é de 16 anos.

Com sede em Brasília, o Consórcio Sol da Justiça já deu início à construção da usina solar fotovoltaica que atenderá o Superior Tribunal de Justiça (STJ), sendo que a usina ficará no Núcleo Rural Alexandre Gusmão, em Brazlândia (DF). O prazo de execução é de 264 dias. Isso significa que a obra deve ser concluída em setembro de 2021.

Gilberto Vieira Filho, presidente da Quantum Engenharia garante que a tendência é de que a empresa catarinense participe, cada vez mais, de licitações nessa modalidade. 

COMO FUNCIONA A LOCAÇÃO DE SISTEMA DE GERAÇÃO DE ENERGIA SOLAR DISTRIBUÍDA

O projeto e a instalação de uma usina solar fotovoltaica demanda alto investimento em recursos humanos e equipamentos. Por isso, o sistema de locação de energia distribuída é especialmente interessante para empresas e órgãos públicos, que não precisam arcar com as despesas do investimento para a construção do parque solar nem com a manutenção. Como o próprio nome diz, as instituições alugam a energia gerada e pagam pelo que for consumido.

A adoção de um sistema de geração de energia fotovoltaica na modalidade de locação proporciona redução mensal na conta de energia elétrica, e ainda resulta na preservação do meio ambiente, pois reduz o uso das fontes convencionais de energia. 

Ao gerar energia limpa a partir do sol, o projeto que será realizado no STJ evitará emissão de 92.750.000 quilos de dióxido de carbono (CO2), um dos principais gases que geram o efeito estufa, explica Julio Cesar Ferreira da Silva, gerente da Quantum Solar.