fbpx

Energia solar fotovoltaica em amplo crescimento

25/03/2021

Energia solar fotovoltaica em amplo crescimento


Escrito
por Quantum

Com posição geográfica e extensão territorial ideais para a geração de energia solar fotovoltaica, o Brasil vem investindo no setor e ele está em plena ascensão. Prova disso é que, de 2019 para 2020 a capacidade instalada de projetos solares saltou 64%. E, de acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), a projeção para este ano mantém a expectativa de crescimento, podendo chegar a um aumento de 68% em relação à potência atual.

Portanto, o País deve atingir 12,56 gigawatts (GW) de capacidade instalada de projetos de geração de energia solar fotovoltaica ainda em 2021, sendo as usinas solares de grande porte sua maior fonte. Assim sendo, a entidade estima um aumento de 37% para esses empreendimentos, saindo dos atuais 3,1 GW para 4,2 GW. Já a chamada “geração distribuída” deverá crescer 90%, passando de 4,4 GW para 8,3 GW.

Ademais, o Brasil vem registrando um crescimento mês a mês em geração de energia solar. De acordo com dados apresentados pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), a produção de energia solar fotovoltaica atingiu um crescimento de 18,9% em janeiro deste ano, se comparado ao mesmo período de 2020. Foram 705 megawatts (MW) médios no primeiro mês de 2021, contra 593 MW médios em janeiro do ano passado.

Desempenho na pandemia

A intensidade do impacto da pandemia foi diferente entre os diversos setores da economia. E mesmo sem ter sido um dos mais atingidos, o mercado de energia solar apresentou algumas variações ao longo do ano passado. Situação que foi contornada e hoje o segmento fotovoltaico está em um momento de amplo crescimento no Brasil.

Ainda segundo levantamentos consolidados pela CCEE, apesar de ter apresentando índices negativos nos últimos meses de 2020, o setor manteve a sua geração em franca expansão. Inclusive, após apresentar um recuo de 3,8% em novembro e de 1,3% em dezembro de 2020, em relação ao mesmo período do ano anterior, o segmento registrou uma alta significativa no início de 2021. E seguindo o excelente desempenho em janeiro, a produção de energia solar fotovoltaica manteve da mesma forma seu índice positivo em fevereiro, garantindo 10,7% de crescimento só na primeira quinzena.

Panorama do mercado

Para especialistas do setor, o aumento da procura que já estava em ascensão, foi impulsionado ainda mais pela pandemia. Visto que no final do ano passado a Absolar anunciou que o Brasil tinha ultrapassado a marca histórica de 7 gigawatts (GW) de portência operacional da fonte solar fotovoltaica. Resultado que vem do investimento em usinas de grande porte e pequenos e médios sistemas instalados em telhados, fachadas e terrenos.

Historicamente em tempos difíceis a evolução tecnológica aparece como acelerador na superação de desafios. E isso naturalmente reflete em ganho no desenvolvimento econômico e social de cidades e estados. Ainda mais que, segundo o Ministério de Minas e Energia, até 2029, o País vai começar um processo de mudança da matriz energética. E, com isso, a produção de energia solar vai aumentar em 4x.

Hoje o Brasil é o único país da América Latina e o 16º no ranking mundial de países geradores de energia solar. Uma vez que são mais de 500 mil consumidores utilizando o sistema fotovoltaico e os residenciais estão no topo da lista, representando 73,6% do total. Na sequência aparecem as empresas dos setores de comércio e serviços (16,6%), consumidores rurais (7,0%), indústrias (2,4%), assim como poder público (0,4%) e outros tipos, como serviços públicos (0,03%) e iluminação pública (0,01%).

Já são mais de 5 mil municípios em todo o território nacional apostando na qualidade e benefícios da tecnologia solar fotovoltaica. Principalmente inspirados por uma produção mais limpa e sustentável, e que de quebra gere economia.