fbpx

Energia fotovoltaica chega às UBS’s de São Paulo

29/10/2021

Energia fotovoltaica chega às UBS’s de São Paulo


Escrito
por Quantum

Falar em energia limpa é algo natural nos dias de hoje. Principalmente porque, além da redução de custos, é uma forma inteligente e inovadora de colaborar com o meio ambiente.

Pensando nisso, a prefeitura de São Paulo vai implantar 80 sistemas de geração de energia nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) através do Sol da Saúde: projeto desenvolvido e executado pela Quantum Engenharia, em parceria com a empresa Houer Capital.

No total, serão 9.200 módulos, com uma estimativa de geração anual de energia em torno de 5,48 GWh. Dessa forma, a ação busca oferecer bem-estar e qualidade de atendimento no momento em que as pessoas mais precisam, que é quando estão doentes.

O contrato prevê a concessão por 25 anos para a implantação, operação e manutenção dos sistemas de geração distribuída de energia elétrica limpa. O que, naturalmente impacta no desenvolvimento socioeconômico do local, gerando empregos e capacitando pessoas para o setor.

Além disso, a expectativa é que o projeto evite a emissão de 72,6 mil toneladas de gás carbônico na atmosfera. O que equivale ao plantio de 1,9 milhões de unidades de árvores ao longo desse período.

Proposta para geração de energia limpa e sustentável 

Destinado para suprir a demanda energética de unidades consumidoras vinculadas à Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, os sistemas serão implantados nos telhados das UBS’s. Estrutura totalmente integrada ao ambiente e com o mínimo impacto às instalações existentes.

Dessa forma, durante o dia, os painéis irão transformar a energia solar em energia elétrica, abastecendo toda a infraestrutura do local. Sendo que, o excedente da produção pode ser compensado nesta ou em outras unidades.

O Sol da Saúde é um exemplo de como a iniciativa pública pode, e deve, investir em ações sustentáveis que promovam a responsabilidade social. Além disso, também pode contribuir com o fortalecimento da consciência ecológica. Tudo isso acontece com o aproveitamento de maneira estratégica dos recursos naturais e renováveis que temos à nossa disposição, de forma abundante, em todo o planeta. Como é o caso do sol, por exemplo.

Além disso, a política pública visa garantir energia limpa e acessível, que garanta economia financeira de, no mínimo, 25% aos cofres públicos, enquanto também proporciona qualidade de vida à população, principalmente no que diz respeito a uma maior segurança para os pacientes e agilidade nos atendimentos das UBS’s.

Panorama brasileiro e suas tendências

Um dos maiores desafios da sociedade mundial atualmente é promover o desenvolvimento sustentável. Os grandes avanços tecnológicos das últimas décadas e o crescimento econômico trouxeram a discussão sobre os limites que devem ser impostos para garantir um equilíbrio socioambiental, sem que isso gere qualquer tipo de prejuízo à atividade econômica.

Com o esgotamento dos recursos naturais, é inevitável que o homem busque novos meios para suprir as suas necessidades. E o investimento em energia limpa e renovável é um bom exemplo disso.  O Brasil trabalha atualmente para ampliar a produção de energia renovável e sustentável, sendo que 48% da sua matriz energética já é de fontes renováveis.

De acordo com o presidente da Quantum Engenharia, Gilberto Vieira, há um interesse cada vez maior do poder público pela geração de energia solar fotovoltaica. Em Florianópolis, por exemplo, a reitoria da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e a Superintendência Regional da Polícia Federal já aderiram ao modelo. 

Outro local que passará a operar com sistema fotovoltaico é Assembléia Legislativa do Estado (Alesc). Esse projeto deverá reduzir em cerca de 20% o consumo de energia no local por ano. Além de resultar em um ganho ambiental equivalente a deixar de emitir 174 toneladas de CO² na natureza. Para que esse gás fosse retirado na natureza, seria preciso plantar 4.470 unidades de árvores.