Por mais simples que seja a colocação de placas fotovoltaicas em uma residência, é preciso tomar alguns cuidados antes e durante a instalação, a fim de garantir melhor rendimento e aproveitamento dos painéis. A energia solar pode ser aproveitada até em dias nublados, no entanto, a posição das placas fotovoltaicas deve ser estudada para a incidência de raios solares sobre elas seja a melhor possível. Para aumentar a eficiência dos painéis, é importante realizar um estudo de posição solar, por isso, pesquise empresas de confiança na sua região e busque referências antes de fechar negócios.

 

INSTALAR AS PLACAS FOTOVOLTAICAS CORRETAMENTE AUMENTA O APROVEITAMENTO DA ENERGIA SOLAR

 

No Brasil, a subida do Sol no trajeto entre o nascente (leste) e o poente (oeste) mais inclinado para o norte verdadeiro (que não coincide com o norte das bússolas), por essa razão, o ideal é que as placas fotovoltaicas sejam colocadas voltadas para esse ponto. Grosso modo, 10m2 de placas instaladas em sistema isolado geram cerca de 1 kWp de energia; em sistemas ligados à rede de distribuição, o tamanho das instalações para gerar a mesma quantidade de energia pode ser menor. Em instalações de painéis voltados para o noroeste ou para o nordeste, as perdas adicionais ficam entre 3% e 8%, enquanto os voltados para o leste ou para o oeste, as perdas podem ser de até 20%.

Quanto ao ângulo de instalação, deve-se considerar a localização latitudinal da cidade. O grau de latitude corresponde ao grau do ângulo em que a placa deve ser posicionada. Quanto mais ao sul do Brasil – ou seja, quanto mais distante da Linha do Equador –, maior será o ângulo, por exemplo: Fortaleza está a -0,3º do Equador; Porto Alegre fica a -30º; enquanto Florianópolis situa-se na latitude -27º; no entanto, a inclinação mínima deve ser de 10º, desse modo, nas cidades citadas, as placas devem ser instaladas a 10º, 30º e 27º, respectivamente.

 

placas fotovoltaicas

 

PASSO A PASSO PARA INSTALAÇÃO DE PLACAS SOLARES FOTOVOLTAICAS

 

Como já foi dito, a instalação de painéis fotovoltaicos é relativamente simples, mas todo o processo deve ser feito por profissionais especializados, para garantir o perfeito funcionamento, economia e evitar acidentes.  Não caia em armadilhas do tipo “faça você mesmo”.

 

Pesquisar empresas da região

Busque referências de empresas e profissionais que operam na sua região. O ideal é que, além da instalação, ofereçam manutenção e auxiliem com os requerimentos e licenças da concessionária de energia da sua cidade.

 

Escolher o tipo de painéis e o sistema

O profissional responsável pela instalação deve mostrar os tipos de painéis e sistemas que melhor se enquadram à unidade consumidora e às necessidades do cliente.

 

Realizar estudo de viabilidade

Um estudo técnico é necessário para definir o perfil da unidade consumidora e, a partir daí, avaliar a viabilidade da instalação, a incidência de raios solares e determinar o melhor sistema para a estrutura disponível.

 

Requerer autorização da concessionária de energia

A empresa responsável pela distribuição de energia em sua cidade deve autorizar a ligação da unidade consumidora à rede, de acordo com normas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

 

Conectar o sistema à rede de distribuição

A energia gerada pelos painéis deve ser convertida para que possa ser utilizada por lâmpadas, chuveiros e aparelhos eletroeletrônicos. Para usar a energia elétrica (gerada pela solar) e gerar créditos de energia, é preciso conectar a micro ou miniusina residencial à rede de distribuição.

 

Instalar as placas e o conversor

Com toda a parte burocrática regulamentada, a empresa pode fazer a instalação dos equipamentos. Certifique-se de que todo material seja certificado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

 

Solicitar vistoria da concessionária de energia

O último passo é solicitar a visita da concessionária de energia para vistoriar e homologar o sistema instalado, autorizando seu uso.

placas fotovoltaicas