Simplificadamente, raios se formam a partir da colisão de cargas elétricas negativas (na base) e positivas (no topo), geradas por colisões de cristais de gelo em uma nuvem do tipo cúmulo-nimbo. As cargas negativas da base da nuvem são atraídas pela carga do solo, que é positiva. Da proximidade entre as cargas é que surge o raio, relâmpago ou descarga elétrica. O trovão, por sua vez, é o barulho causado pelo deslocamento de ar gerado pela descarga elétrica.

O Brasil é o país com maior incidência de raios no mundo. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), anualmente, em torno de 78 milhões de descargas elétricas são registradas no País.

Os raios causam cerca de cem mortes por ano no Brasil, e prejuízos materiais, principalmente com a queima de aparelhos ligados à rede elétrica. E essa é uma preocupação comum a quem pretende instalar sistema fotovoltaico. Afinal, como é feita a proteção das placas contra raios?

 

O QUE ACONTECE COM UM PAINEL FOTOVOLTAICO ATINGIDO POR UM RAIO?

Em condições normais, os módulos fotovoltaicos duram entre 25 e 30 anos. Quando atingido por um raio, em casos menos graves, o módulo pode ter sua vida útil reduzida. No entanto, se a descarga elétrica for forte, pode ser necessária a troca de todo sistema. Quanto maior a extensão dos módulos, maior será o risco de uma descarga atmosférica direta.

 

EM CASO DE RAIOS, COMO PROTEGER SEU SISTEMA FOTOVOLTAICO?

As intempéries são, sim, uma ameaça ao sistema fotovoltaico, e isso leva muitas pessoas a questionarem a instalação de micro ou minigeradores por receio do risco de prejuízo. Entretanto, é importante ressaltar que há formas de proteger o sistema fotovoltaico de descargas elétricas, tornando seu uso mais seguro.

A segurança do sistema se dá, basicamente, com a instalação de três itens:

Aterramento: Esse dispositivo funciona transferindo para a terra a carga acumulada/ recebida pelas placas, diminuindo, assim, uma sobrecarga de tensão nos módulos, evitando que elas sofram causadas por raios.

Dispositivo de Proteção Contra Surto (DPS): Esse dispositivo também tem como função descarregar ou desviar uma sobrecarga no sistema fotovoltaico, diminuindo a tensão no equipamento caso ele seja atingido por um raio. O DPS deve ser instalado próximo do inversor do painel da central do sistema fotovoltaico.

Para-raios: O para-raio é uma haste metálica que serve para atrair para si as descargas elétricas, evitando, portanto, o impacto direto do raio nos módulos fotovoltaicos. O equipamento não deixa a descarga elétrica atingir o sistema, pois absorve a energia e conduz para a terra, no mesmo sistema do aterramento.

Mas, lembre-se! Apenas profissionais especializados devem fazer a instalação desses sistemas de segurança, evitando assim problemas mais sérios e sem reduzir a vida útil das placas solares.

 

sistemas fotovoltaicos