Os efeitos nocivos causados pelo sistema energético alcançam níveis globais e são responsáveis por graves impactos ambientais, como chuva ácida, graves alterações climáticas – devido ao acúmulo de gases na atmosfera (efeito estufa), derramamento de petróleo em oceanos e erosão da camada de ozônio.  Mas aquando  os sistema energético é composto por fontes de energia limpa, como a energia solar, esses efeitos nocivos são reduzidos e ganha-se em sustentabilidade.

Os meios mais utilizados de extração de recursos energéticos – petróleo, carvão, hidroeletricidade e até biomassa – causam alterações significativas e, na maior parte das vezes, irreversíveis, de solo, vegetação e atmosférica, comprometendo o meio ambiente e a saúde da população. São danos visíveis em curto prazo e de efeito cumulativo, ou seja, podem ser sentidos por muitas gerações.

Cerca de 75% do dióxido de carbono lançado à atmosfera vem do setor energético, que também emite mais de 40% do chumbo, 85% de enxofre e 75% de óxidos de nitrogênio. Esses gases são nocivos ao homem, causando alergias, problemas de pele e doenças respiratórias, poluem rios e contaminam plantações. O acúmulo desses gases acentua o efeito estufa, que causa graves alterações climáticas e, por consequência, traz implicações para a pesca, produção agrícola e pecuária, e é muito prejudicial ao homem.

Diante desse cenário, é urgente ampliar a utilização de energias limpas e renováveis, como a energia solar, facilitar o acesso a painéis fotovoltaicos, criando linhas de crédito e fomentando a aquisição. Para isso, os governos estaduais e o federal têm se unido a bancos, cooperativas de crédito e iniciativa privada.

Além dos inúmeros benefícios econômicos, a energia solar não lança gases tóxicos na atmosfera e, por essa razão, não influencia no aquecimento global; e não causa impactos ao ecossistema nem a comunidades, como ocorre com as hidrelétricas, que exigem desapropriações e causam alagamentos que comprometem a fauna e a flora. A energia solar é inesgotável e gratuita, por isso, é a alternativa energética mais promissora para resolver nossa dependência dos combustíveis fósseis e das hidrelétricas.