O setor hoteleiro brasileiro tem, segundo dados da Pesquisa de Serviços de Hospedagem realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2016, mais de 30 mil estabelecimentos, com 1.011.254 unidades habitacionais (suítes, quartos e chalés) e 2.407.892 leitos.

Para operar perfeitamente, os hotéis precisam manter o funcionamento de elevadores, grandes máquinas de lavar roupa, refrigeradores e freezers, condicionadores de ar e geradores por 24 horas, sete dias por semana. Além disso, existem todos os televisores, computadores, secadores de cabelo, chuveiros elétricos e outros aparelhos eletroeletrônicos utilizados pelos hóspedes, que muitas vezes “esquecem” das medidas de economia de energia quando estão fora de suas casas.

Tudo isso faz com que a rede de hoteleira sofra com os altos custos com energia elétrica todos os meses.

Cientes da necessidade de se alinhar aos conceitos de sustentabilidade, a fim de reduzir o consumo energético e atrair hóspedes que valorizam os cuidados com o meio ambiente, muitos donos de hotéis têm buscado a geração de energia fotovoltaica como saída para o alto gasto com a conta de luz. Para isso, se beneficiam das facilidades de financiamentos disponíveis atualmente.

 

BENEFÍCIOS DA ENERGIA SOLAR NA REDE HOTELEIRA

A economia com as contas de energia elétrica – que pode chegar a 90% – é a maior vantagem citada por hoteleiros que optaram pela instalação de uma usina de geração de energia fotovoltaica no estabelecimento. O retorno do valor do investimento é de aproximadamente cinco anos. Essa economia é sentida no lucro das diárias, permitindo a oferta de pacotes promocionais, tornando o hotel mais atrativo, aumentando, assim, a taxa de ocupação.

Investir em energia limpa é um diferencial para hotéis que desejam se inserir no Programa Bem Receber, criado pelo Sebrae em parceria com o Ministério do Turismo, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), e receberem selos e certificações de sustentabilidade, que conferem mais credibilidade e habilitam o empreendimento a receber investimentos que o insiram no mercado internacional.

 

OUTRAS DICAS DE ECONOMIA PARA HOTÉIS

Pequenas mudanças cotidianas fazem toda a diferença na contabilidade de um hotel:

– substituir todas as lâmpadas e letreiros por modelos de LED;

– realizar a manutenção dos condicionadores de ar periodicamente, bem como demais equipamentos do estabelecimento;

– conscientizar a equipe sobre a importância de se utilizar os recursos (papéis, água, energia elétrica etc.) com consciência;

– incentivar o uso de copos, louças e talheres reutilizáveis, evitando o uso de descartáveis;

– incentivar o uso das escadas;

– atualizar os estoques periodicamente;

– adequar as escalas dos funcionários de modo a evitar horas extras desnecessárias.

 

energia solar hóteis