Num sistema de micro ou minigeração de energia fotovoltaica, os painéis são responsáveis por captar a energia do Sol que será transformada em energia elétrica, pronta para ser usada pela unidade consumidora. Os painéis fotovoltaicos são, geralmente, produzidos em silício (em torno de 80% dos painéis instalados no mundo são desse material), e se dividem em silício monocristalino – tecnologia mais antiga, porém muito eficiente –; silício policristalino – em que o silício é fundido em blocos –; de filme fino – composto por uma combinação de silício amorfo e outros elementos. As placas comercializadas no Brasil passam por testes rígidos que atestam a eficácia e a durabilidade, e somente podem ser instaladas com selo do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

 

MAS, AFINAL, QUANTOS ANOS DURA UM PAINEL SOLAR?

Além do selo do Inmetro, há um teste usado em diversos países, o IEC 61215, que atesta a segurança e a qualidade dos painéis fotovoltaicos, avaliando, por exemplo: possíveis defeitos visuais; potência máxima; segurança elétrica em diversas condições de umidade e com variação de temperatura; capacidade de suportar exposição ao ar livre e índice de degradação por raios ultravioletas (UV). As placas solares certificadas pelo Inmetro têm duração entre 25 e 30 anos, com 80% da sua capacidade original.

Considerando o payback médio (entre cinco e sete anos), o consumidor terá mais de 20 anos de energia limpa e gratuita!

[Entenda por que a energia solar é lucrativa para sua empresa.]

 

POR QUE OS PAINÉIS FOTOVOLTAICOS PERDEM A EFICIÊNCIA?

Com o passar dos anos, é inevitável que as placas de degradem, pois a radiação solar também é responsável por alterar a cor dos painéis e ressecar o plástico, que pode ficar quebradiço. Além disso, há a oxidação de alguns constituintes do painel. Isso faz com que as placas percam 0,7% do seu potencial a cada ano – um número irrelevante se considerarmos os diversos benefícios desse sistema de geração de energia.

[Quer saber mais sobre painéis solares?]

 

O QUE FAZER APÓS ESSE PERÍODO?

Após 25 anos, é recomendado que se faça um estudo para analisar as condições físicas e a produção das placas fotovoltaicas a fim de garantir sua eficiência e segurança e verificar se há necessidade de ajustes ou substituição de peças. Para isso, basta solicitar a visita de técnicos especializados em energia solar.

 

Duração dos painéis solares